Azulejos e Porcelanatos

VALORES a partir de R$ 55,00 / M2  *para metragens acima de 70 m2 com medidas até 60 x 60 cm.

Visando atender aos mais exigentes níveis de qualidade em serviços de instalação de revestimento e pisos, capacitamos equipes altamente especializada que alia técnica e conhecimento em instalações de diversos materiais. Sabemos que não basta apenas trabalhar com produtos de alta qualidade, entendemos que é preciso inovar e apresentar soluções completas em todo processo.

CLICK PARA SOLICITAR ORÇAMENTO

Veja nossos trabalhos CLIQUE AQUI 

A empresa oferece serviço completo e eficaz de instalação de revestimentos e pisos, com mão de obra qualificada. Garantimos com técnicos treinados pelo fabricante, e com primor no acabamento.

Todos os materiais utilizados na instalação garantem durabilidade máxima a cada produto.

Para a instalação empregamos tecnologia de ponta, sistemas modernos de gestão, equipamentos especialmente projetados para suas aplicações, pesquisa e desenvolvimento de novas soluções.

Os pisos e revestimentos fazem muita diferença na decoração, preparados para aguentar diversos tipos de atrito de acordo com a sua resistência, é necessário cuidar deste tipo de material para que ele tenha uma longa vida útil.

Muitas coisas podem danificar pisos, azulejos e revestimentos: umidade, areia, rejunte inadequado, má conservação e o constante movimento de móveis (como cadeiras, poltronas, etc.).

CORTES PERFEITOS 

Os PORCELANATOS

OS PORCELANATOS SÃO DIVIDIDOS EM TRÊS CATEGORIAS

Semi-Polidos: Nos semi-polidos, ou acetinados, o processo não chega ao polimento completo, portanto não há brilho;

Polidos: Já os polidos trazem um brilho que oferece a sensação de amplitude, mas são mais escorregadios. Esse tipo tem maior suscetibilidade a manchas se comparado ao semi-polido.

CLICK PARA SOLICITAR ORÇAMENTO

Peça Rústica: Tanto os técnicos quanto os esmaltados dispõem desse acabamento. As peças rústicas oferecem maior resistência ao escorregamento, mas dificulta a limpeza.

PRÉ APLICAÇÃO

1. Verifique se a superfície não está irregular, com poças ou caroços;

2. Todas as superfícies devem estar limpas, secas, livre de óleos ou tintas;

3. De acordo com o ambiente defina o tipo de argamassa a ser utilizada: Argamassa Porcelanato Interna ou Argamassa Porcelanato Externa;

4. Verifique em projeto a paginação do piso e o ponto de início de aplicação;

5. Não é necessário molhar a cerâmica, ou deixá-la de molho no dia anterior;

Modo de aplicação

1. Esquadro e Paginação

O esquadro é um dos mais importantes passos para que o piso assentado deixe o ambiente bonito. Verifique se o ambiente onde será assentado o porcelanato está no esquadro, ou seja, se as paredes estão paralelas e os encontros estão formando um ângulo de 90° (ângulo reto). Para ambientes onde as paredes não estão no esquadro, desalinhadas, você deve procurar um esquadro onde terá a menor quantidade de recortes.

CLICK PARA SOLICITAR ORÇAMENTO

O sentido de assentamento de porcelanatos (e também as cerâmicas) é sempre do fundo do cômodo para a porta porque, dessa forma, o instalador não pisará sobre as peças recém assentadas para entrar no ambiente para trazer materiais, ferramentas ou para sair quando o serviço estiver terminado. Andar sobre um piso recém assentado pode afundar, quebrar e desalinhar as peças.

Entretanto, se a paginação do piso indicar que a peça inteira deve ser na parede próximo a porta, você deve assentar uma linha de peças como mestra. Com a mestra pronta, você começa o assentamento das peças do fundo do cômodo para a porta, sem pisar sobre o piso assentado.

CORTES EM GRANDES FORMATOS

Exemplo: você pode deixar os recortes todos apenas em um canto e as outras paredes com peças inteiras. Ou então, jogar todos os recortes para a parede onde vai ficar o sofá, estante ou rack. Eles vão esconder o recorte.

Evite deixar recortes em todas as paredes porque vai deixar o cômodo em desarmonia.

Não é recomendado o assentamento a 45 graus porque gera muito recorte e perda de peças.

CLICK PARA SOLICITAR ORÇAMENTO

2. Preparação da Argamassa

Abra um pacote de Argamassa para Porcelanato em uma bacia de aplicação limpa e seca. Adicione água e vá misturando até ter uma massa uniforme, sem bolinhas de massa. Dê preferência para fazer a mistura com utilizando um misturador. Obs: verifique a quantidade de água na embalagem da argamassa. Em seguida, deixe a massa descansar por 10 a 15 minutos;

3. Aplicação da Argamassa

Inicie aplicando a argamassa na superfície com o lado liso da desempenadeira, gerando uma espessura de 4mm a 5mm. Aplique a argamassa em, no máximo, 2h30min;

4. Formação dos Sulcos na Argamassa

Passe a desempenadeira com o lado dentado na argamassa, formando sulcos paralelos;

Verifique qual a dimensão dos dentes da desempenadeira recomendada pelo fabricante do porcelanato. Essa informação encontra-se na caixa do porcelanato.

5. Peças maiores que 30cm x 30cm

Passe argamassa no fundo da peça da mesma maneira. Primeiro com o lado liso da desempenadeira, em seguida faça sulcos com o lado dentado na direção contrária dos sulcos do piso;

6. Assentamento da peça

Aplique a peça no local, vá movimentando-a levemente para que chegue na posição correta, não esqueça de utilizar o espaçador. A largura do espaçador depende do tamanho da peça Vá batendo na peça com o martelo de borracha para que a peça assente completamente sobre a armagassa, amassando os sulcos criados anteriormente;

 Retirar excesso: o excesso de argamassa que sobe pelas juntas das peças com uma espátula;

Limpe a superfície das peças cerâmicas com um pano úmido ou estopa , ou então com uma esponja, até remover todo o resíduo de argamassa;

Vá repetindo essa operação até fechar todo o cômodo;

7. Rejunte

Deve ser feito com Rejunte para Porcelanato ou Rejunte Epóxi, que garante um acabamento liso e resistente.

8. Liberação do tráfego

Para as pessoas da obra após 72h, para o público e tráfego após 7 dias;

CLICK PARA SOLICITAR ORÇAMENTO

Os porcelanatos tornam os ambientes bonitos e requintados, mas desde que seu assentamento seja bem feito e por profissional experiente.

Tipos de pisos e revestimentos

Para analisarmos a melhor opção para cada caso, o ideal é dividirmos o imóvel em três grandes áreas: íntima, social e áreas molhadas (banheiros, cozinha e lavanderia, basicamente). Essa divisão é interessante, pois cada um desses espaços requer pisos com características diversas. Os pisos são agredidos diariamente por diversos fatores: alto tráfego, água, gordura, materiais de limpeza, sol constante, saltos tipo agulha dos sapatos femininos, carrinhos de bebê, patas dos cachorros, tintas, vinho, etc. Veja com atenção qual é a agressão mais frequente em cada ambiente para que a escolha do material seja a mais acertada.

Para a área íntima, podemos utilizar materiais quentes e aconchegantes, como a madeira, materiais mais frios, como as cerâmicas, pisos monolíticos ou ainda os carpetes, carpetes de madeira, pisos de borracha entre outros. Esta área pode receber diversos tipos de revestimento, já que o tráfego costuma ser baixo e a resistência à água não é um problema aqui.

Pisos quentes

A madeira é um material muito desejado nos quartos, já que é mais quente, agradável para se andar descalço e reflete intimidade. Se for a sua escolha, dê preferência para as certificadas, que agridem menos o meio ambiente, e cuidado com as espécies muito moles como, por exemplo, a amendola. Este piso pode ser composto por grandes peças de diferentes larguras, o assoalho, ou peças menores, comumente chamadas de tacos, tacões, taquinhos e parquets.

Pisos frios

O clima local é um fator importante na escolha do melhor revestimento. Regiões mais quentes sugerem pisos mais frios. Os pisos cerâmicos e os porcelanatos podem, neste caso, ser uma boa opção. O Brasil é um grande produtor destes materiais e as opções são inúmeras, com várias cores e tamanhos.

Sem rejuntes

Os pisos monolíticos são outra gama de revestimentos mais frios que podem ser usados em toda a casa. O popular cimento queimado é o mais conhecido destes materiais, mas no mercado há o cimento polimérico, o microcimento, o granilite, o fulget, o piso epóxi, entre outros. A grande característica deste tipo de piso é agradar àqueles que não gostam dos rejuntes. Neste caso, algum material líquido à base de cimento ou resina, misturado com aditivos ou pequenas pedras, entre outras coisas, é moldado diretamente no local. Quando seco, transforma-se numa superfície uniforme e livre de rejuntes. Dependendo da escolha, juntas de dilatação de plástico ou metal são necessárias a cada um ou dois metros, em ambas as direções do piso, para que se evitem trincas na superfície. As trincas são a grande desvantagem desse tipo de material, já que aparecem na grande maioria das vezes em que estes são utilizados. Ao escolher um piso monolítico, esteja preparado para a possibilidade de conviver com elas.